Caso Oscar – O Internacional perdeu!


Eu já havia escrito em post anterior sobre a derrota do Inter no caso Oscar. Muitos irão ler e dirão que o Inter não perdeu, mas sim ganhou com todo o imbróglio. Eu discordo e explico o porque da minha afirmação:

– o Inter já havia pago R$ 7 milhões por 50% dos direitos do atleta no passado, antes do problema com o São Paulo.

– Some-se agora os R$ 5 milhões que o Inter pagou ao SPFC para ter 50% do atleta em definitivo.Giuliano Bertolucci e o banco BMG bancaram os R$ 10 milhões restantes. O Inter possui 50% dos direitos econômicos sobre o jogador e gastou 12 milhões. A dupla Bertolucci e Oscar além do banco BMG ficaram com 25% cada um, segundo noticiou Leandro Behs do Jornal Zero hora, que cobre todo o processo no Sul. leia aqui

Segundo informação do jornal inglês Daily Mail, Oscar, 20 anos, custará aos cofres do Chelsea 25 milhões de libras (cerca de R$ 78 milhões). O Inter ficará com cerca de R$ 39 milhões, referentes aos 50%, mas terá que repassar 2,25% ao São Paulo como clube formador = R$ 1.755 MM. Sobra ao Inter pouco mais de R$ 20 MM.

Ok, o Inter ganhou dinheiro rapidamente, mas também deixou de ganhar:

– Não viu o jogador na fase decisiva da Libertadores e perdeu muito dinheiro sendo precocemente eliminado;

– Não poderá usufruir do jogador no momento em que monta um verdadeiro esquadrão;

– Acabou apenas confirmando o que todos alardearam: O jogador apenas usou o inter como um trampolim para encher os seus bolsos de dinheiro.

Continuo afirmando que mesmo que a venda se concretize e encha os cofres do Inter de dinheiro, o clube se desgastou demasiadamente por um jogador que não respeita nenhuma camisa e só pensa com o bolso. Palmas para Oscar e sua tropa. Conseguiram fazer São Paulo e Inter de bobos.

Anúncios

Caso Oscar – Inter ganhou, mas perdeu.


O final do caso Oscar foi melhor para o São Paulo do que o esperado e a torcida do Inter está certa em comemorar, pois terá o jogador até junho de 2015 à sua disposição (tempo de duração do contrato vigente). Pelo futebol que tem mostrado, poderá ser o motor do time nos próximos anos e pode trazer títulos importantes para o clube, não há dúvidas sobre isso. Apenas gostaria de dar o meu ponto de vista sobre como o Inter perdeu nesta história:

– o Inter já havia pago R$ 7 milhões por 50% dos direitos do atleta no passado.

– Some-se agora os R$ 5 milhões que o Inter terá que pagar para ter 50% do atleta em definitivo, uma vez que Giuliano Bertolucci e o banco BMG bancarão os R$ 10 milhões restantes. O Inter manterá 50% dos direitos econômicos sobre o jogador. A dupla Bertolucci e Oscar além do banco BMG ficarão com 25% cada um, segundo noticiou Leandro Behs do Jornal Zero hora, que cobre todo o processo no Sul. leia aqui

– Sabendo da índole do jogador e seu empresário, sedentos por dinheiro, quem garante que o meia não irá pedir aumentos expressivos no seu salário caso mantenha o bom futebol nos próximos anos. Quem banca estes salários é o Inter e certamente o atleta pleiteará salários equivalentes ao dos craques consagrados do elenco, muito maiores do que o de Oscar.

– Fora isso, com várias sócios nos direitos federativos do meia, o Inter ficará em posição muito ruim caso propostas tentadoras comecem a chegar do exterior. O caso de PH ganso no Santos é emblemático. Enquanto o Santos não aceita as propostas medianas que chegam, os investidores pressionam pela rápida venda para reaver o valor investido no atleta.

– O momento do futebol Europeu também não é favorável para que o Inter receba uma boa proposta por Oscar e o horizonte de curto prazo é desalentador para os clubes do velho continente.

No final das contas, o imbróglio acabou sendo mais favorável ao São Paulo, pois conseguiu chegar muito próximo do valor almejado e tirou do elenco um jogador descontente. Vale ressaltar que o valor de R$ 15 milhões é o maior valor pago por um jogador dentro do futebol brasileiro e não teria acontecido se o tricolor não tivesse agido dessa maneira.

Enfim, o Inter ganhou, mas perdeu. Vai com Deus Oscar!

 

 

 

 

 

 

 

Credito-Vipcomm

 

 

Carta de Oscar ao São Paulo


Reproduzo aqui matéria sobre a carta que Oscar enviou ao SPFC em resposta à nota oficial enviada pelo clube após decisão doa justiça que indeferiu o pedido de liminar e extinguiu o processo ajuizado pelo Atleta Oscar, na qual se buscava a suspensão dos efeitos do acórdão anteriormente proferido pelo TRT da 2ª Região

Autor: Jeremias Wernek e Renan Prates
Fonte: Agora São Paulo

O meia Oscar enviou no último dia 20 uma carta ao São Paulo reiterando seu desejo de permanecer no Inter. O documento, assinado por seu advogado, também repudia de forma oficial da medida adotada pelos paulistas, de depositar um valor referente ao salário do atleta em uma conta bancária em Porto Alegre.


Oscar escreve a Juvenal e reclama de “abuso ao trabalhador e ao ser humano”

Oscar também define a postura do São Paulo como “abusiva, reprovável e da mais absoluta má-fé”, no que analisa ser uma manobra para aumentar o valor da multa rescisória em possível acordo futuro para o imbróglio jurídico.

O estafe do Oscar confirmou ao UOL Esporte a veracidade da carta, mas disse não saber se o presidente do clube, Juvenal Juvêncio, teve acesso ao documento e que tipo de procedimento o São Paulo tomará. O vice-presidente de futebol do Tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, disse que soube da manifestação do jogador, mas também não teve o parecer da atitude a ser tomada por Juvenal.

Confira os principais trechos da carta enviada por Oscar:

Prezados Senhores,

1 – Diante da nota oficial divulgada no último dia 18.04.2012 pelo SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE (“São Paulo”), o atleta OSCAR EMBOABA JUNIOR (“Atleta”) reafirma, como já o fez inúmeras vezes e inclusive em público, a sua vontade de permanecer no SPORT CLUB INTERNACIONAL (“Internacional”), não tendo qualquer desejo de restituir ou manter seu vínculo com o São Paulo.

2 – A comunicação do São Paulo de que unilateralmente e por liberalidade passaria a depositar ao Atleta o valor do salário que este percebe no Internacional já é de imediato negada e recusada pelo Atleta, que, repita-se, não deseja manutenção de qualquer vínculo com o São Paulo, tendo inclusive manifestado nos autos do processo em que litiga com o clube, a sua vontade de permanecer no Internacional, ainda que sujeito ao pagamento de cláusula penal contratual, dentro dos limites e calculada pelos parâmetros legalmente previstos.

Foto 1 de 126 – Oscar se prepara para iniciar treino pelo Internacional Agência Freelancer
3 – O ato unilateral por parte do São Paulo de majorar o salário do Atleta sem consentimento deste é inclusive ilícito, tendo em vista que o artigo 468 da Consolidação das Leis do Trabalho veda expressamente a alteração contratual que não ocorra por mútuo consentimento das partes, ainda que benéfica ao trabalhador, quanto mais aquelas que possuem claro objetivo de impor grave prejuízo ao trabalhador, como é o caso.

4 – De fato, a despeito de sugerir que passará a depositar na conta do atleta o mesmo salário que atualmente recebe de seu atual empregador, o Internacional, como forma de livrá-lo de “pressões” e para que não tenha “prejuízo patrimonial”, a real intenção do São Paulo Futebol Clube, de forma totalmente abusiva, reprovável e reveladora da mais absoluta má-fé com que age o clube, é forçar uma improvável interpretação jurídica quanto ao aumento da cláusula penal, que seria contabilizada tendo por base os valores percebidos pelo Atleta, o que geraria, unicamente, prejuízo ao trabalhador que deseja unicamente se desligar do São Paulo. Tal comportamento do São Paulo revela, mais uma vez, o abuso praticado pelo clube e o desrespeito ao atleta de futebol, ao trabalhador e ao ser humano Oscar.