São Paulo deveria manter Lucas por muitos anos.


Além de blogueiro nas horas vagas, eu trabalho em um Instituto de pesquisa de mercado que tem como uma de suas especialidades pesquisas sobre o futebol e recall de patrocínio esportivo.

Um dos pontos mais interessantes ao pesquisar o tamanho de torcidas é observar o quanto elas são estáveis ao longo do tempo. O time do pai quase sempre será o time do filho e os tamanhos tendem a permanecer estáveis por muitos e muitos anos.

Há porém alguns fatores que contribuem para que haja mudanças no tamanho de torcidas, dentre eles eu destaco dois muito relevantes:

– Títulos importantes e recorrentes: o maior exemplo é o SPFC, que tem média de títulos (por ano de existência) muito superior aos concorrentes. Houve apenas um grande hiato durante a construção do Morumbi.

– Ídolos: Pelé é o maior exemplo, sendo o principal responsável por colocar um time de interior entre as maiores torcidas do país. Fenômenos mais recentes como Ronaldo e Neymar puderam ser amplamente monitorados e mostraram que sua presença no time ajuda a angariar novos torcedores.

Pesquisas que fizemos nos anos de 2009 a 2011 ilustram bem o que estou falando. Durante todo o campeonato brasileiro de 2009 (março a dez) nós tínhamos uma monitoria de tamanho de torcida que mostrou mês a mês um crescimento da torcida do Corinthians até a conquista da Copa do Brasil. No segundo semestre, a torcida do Flamengo recuperou parte do terrenos perdido com o título Brasileiro e o Adriano em boa forma.

O gráfico abaixo mostra a pesquisa em 2 momentos:

2009 -com dados acumulados desde a conquista do paulista até logo após a conquista da Copa do Brasil pelo Corinthians

2011- com a pesquisa feita logo após a conquista da Copa do Brasil pelo Santos.

É possível observar as mudanças no tamanho das torcidas nestes períodos.

O Santos vem ganhando muitos títulos desde 2002 e também vem formando craques que ficam um bom período vestindo a camisa do clube. Posso apostar minhas fichas que a nova geração de torcedores terá um maior apreço pelo Santos.

Bom, escrevi tudo isso para falar da relação do SPFC e Lucas. Desde RC10, Kaká e Luis Fabiano o São Paulo não tem um craque com o mesmo potencial de Lucas em seus quadros. Lucas é um garoto que está sendo lapidado e provavelmente será vendido quando estiver no ápice, pois essa é a tradição tricolor: Formar e vender.

Em um tempo onde futebol é cada vez mais dinheiro, manter Lucas seria fundamental para que o SPFC volte a ter a equação perfeita de títulos e craques carismáticos. Pagar mais por isso não deveria ser um problema, pois o retorno no longo prazo é maior do que apostar em craques em decadência no futebol europeu como virou moda entre os clubes brasileiros.

A valorização de Lucas também evitaria que casos como o de Oscar acontecessem, pois os garotos da base teriam um fator a mais para vestir a camisa do clube.

Crédito da foto: Site oficial do SPFC

Essa é a minha opinião. E você? O que acha? Deixe os seus comentários.

Anúncios

O caso Oscar pode ter desfecho parecido com o caso Rogério (Pal x Cor)


Demorou 12 anos, mas o Palmeiras pode ganhar, em última instância, quase R$ 35 milhões em uma ação no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília.

O valor refere-se a ação impetrada em 2000 pelo Palmeiras contra o jogador, que saiu do clube via liminar e foi para o clube do Parque São jorge (qualquer semelhança com o caso Oscar não é mera coincidência). A matéria completa está no link abaixo.

http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2012/03/30/palmeiras-espera-ganhar-r-35-milhoes-do-corinthians-por-causa-de-rogerio-pedalada.htm

Assim como o jurídico tricolor está prevendo, o Inter pode ser considerado solidário à Oscar caso mantenha a posição contrária a decisão da justiça que restabelece o vínculo do atleta ao São Paulo.

Um trecho da decisão em 3ª instância a favor do Palmeiras (última antes do STJ) chama a atenção para o perigo que o inter está correndo ao peitar o São Paulo neste caso:

“Tendo o esportista pactuado com o coapelado Sport Club Corinthians Paulista, cabe ao clube réu pagar aos apelantes o valor do passe do atleta, montante a ser apurado em liquidação de sentença, conforme o pleiteado na inicial”.

Eu já escrevi em outro post o que acho que Oscar e Inter deveriam fazer neste caso: voltar imediatamente.

Já com relação ao caso do Rogério (pedalada), só tenho a agradecer ao time da marginal por tê-lo contratado. Sua atuação na final do Brasileiro de 2002 foi sensacional, sem ele o Robinho não teria se destacado tanto na carreira e também por este possível desfecho contra o Corinthians.

É sempre bom relembrar:

http://www.youtube.com/watch?v=etoFDfJ71rk